Administração de Pinto da Costa agarrada e resiste em ceder poder

A gestão da SAD do FC Porto enfrenta um momento de tensão. Apesar da derrota nas recentes eleições, os administradores liderados por Pinto da Costa estão relutantes em abandonar os seus cargos, motivados por compensações financeiras significativas. Segundo foi apurado pelo jornal A Bola, a administração aguarda o recebimento de cerca de 250 mil euros, divididos entre salários e ajudas de custo, até ao final deste mês.

Este impasse surge num momento crítico, quando André Villas-Boas, recentemente eleito presidente, pretende implementar mudanças substanciais na estrutura do clube. Uma das suas prioridades é a cooptação de Pereira da Costa para o cargo de CFO com poder executivo na SAD, crucial para avançar com projetos importantes como a venda dos direitos comerciais do Estádio do Dragão e a construção da nova academia de formação na Maia.

No entanto, a resistência de Pinto da Costa e dos demais membros da administração em ceder os seus lugares está a complicar a transição desejada por Villas-Boas, que conta com um forte apoio após uma votação recorde. Esta situação evidencia as complexas dinâmicas de poder e os desafios de governança dentro do FC Porto, destacando o impacto que questões financeiras podem ter nas decisões administrativas de grandes clubes de futebol.